Vou durrmirr, vou ficarr a olhárr prra estas parrêdes…vou sunharr, vou sunharr que quande me alevante e pense que mórre da nha cidade nã tênhe dnhuma dificuldade em a enfrrentarr. Vou sunhárr que saí de cása e que só tênhe que beberr um cafézinhe de manhã que me sábe tão bein…Vou sunhárr questa histórria da […]

Read More

A crrise come se sábe veie prra ficarr.Vivêmes ela toudes os dias. Têmes que serr forrtes e encarrála de frrente e resolverr os nósses prrublêmas. Vou fazerr um manual de come conseguirr ultrrapassarr alguns prrublêmas e pouparr bastante dnhêrre perrante esta crrise. Hoje vou-me dedicarr à explicação da prrodução caseirra, grrande parrte das pessoas nã […]

Read More

Ê cá gostava que em prrimêrre lugarr me dêxassem mandarr a crrise à merrda: Crrise vai à merrda! Sôces de Setúbal, vocês porr acase já virram esta cidade completament desafegada? assim, tipe, “eeeeh, esta cidade tá du melhorr, temes tude aqui e o povo tá contente…” Apá, isse nunca aconteceu companhêrres, porrqué que agorra é […]

Read More

Facebook