Sem contas prra pagárr

Ouve um dia que eu cheguei à caixa do correie e nã tinha lá denhum postal, cárrta pa pagárr alguma coisa, ê vi que se passava alguma coisa, apá telefonei pa toude o láde, ningueim me atendia o telefone, já táva mais atarrantáde cum carranguêje perrnêta a tentárr dançar brreakdance no meie das ondinhas do […]

Read More
Bórra à bola verr o Vitórria

Táva finalmente um linde dia nesta cidáde que merrêce même o sol com tons azuis e verrdes ó funde caté fazia querrerr… apá párra lá com essa mania de poeta quisse só te faz é mal ó juize… Bem, a bem dzêrr erra dia d’eu e o Russe irrmes à bola. Sim, irr à bola, […]

Read More
Calendárrio dos Sapadorres e a Vitórria do Vitórria

 Esta cidade é só Vitórrias, agorra cu ane de 2014 tá a chegárr, eu até já sinte quiste é um prreságio. Olha começou logue com a cena do calendárrio dos Bombêrres Sapadorres de Setúbal, eles tavem pa me convidarrem, querr dzêrr eles convidarrem mas ê cá recusei pa eles nã ficarrem mal da pelingrrafia ca […]

Read More
Parra arrelembrrárr as iguarrias da Fêrra

“Emborra lá”… diz o Russe naquele geite de chamamente come que um trremouce chama p’uma mine ou même imprriál… “Vames ali dárr uma voltinha da fêrra, nã sei se sábes mas já tá a bombárr. Anda daí sóce… tá lá a velha do polve sêque e aquile c’uma imprriále sabe poque bein… parréce uma sóla […]

Read More
Sêxta Fêrra à manêrra

Hoje é sexta fêrra, même come ê cá góste. Fui até ó merrcáde saberr da nuvidádes sádinas mais imprruváveis, porrque ali pensasse que se sábe tudinhe, existe mais que uma verrdáde pó mesme assunte e porr vezes inté os interrvenientes dos acontecimentes nem sabiem de nada… Olha… lá fui masé comêrr uma bifaninha e quande […]

Read More
Pesca em Setúbal

A pesca é uma actividade munta intrressante, assim come a agrriculturra e a caça, dá pá gente encherr o bandulhe e irr conseguinde sobrreviverr neste munde c’anda tudo ós atrrupélos. No outrre dia táva eu à converrsa más outrre no café, depois de virr de mais uma longa noite du márr. O outrre porr acáse […]

Read More

Apá eu cá alembrreime, que deverria irr currtárr a trrunfa à da Luísa, mas eu nã tava bein daquela noite e nã me alembrrei quela tinha o estaminé fecháde. Mas ê cá tava prráli virráde e fui. A porrcarria das ruas do Trroine Nascente tão em óbrras, é cada burráque que parrecem crratérras mai grrandes […]

Read More

Facebook